Carta de Comprovação de Experiência de Trabalho

Carta_Empregador

Paula Mello

Analista de Projetos de TI, formada em Analise de Sistemas e Publicidade, técnica em Meio Ambiente, estudante por curiosidade eterna, cervejeira por amor ao hobby, louca por fotografia, dança, livros, chocolate, viagens, virar a mesa, se perder pra depois se reencontrar, diferente, de novo.

Você pode gostar de...

49 Respostas

  1. Casal 20 disse:

    Muito obrigada pelo post maravilhoso, Paulinha!

    Cheio de detalhes, como eu AMO! Rsss

    Fiquei com uma dúvida…é realmente essencial o papel timbrado? Pq em uma das empresas meu chefe já foi desligado e eu já conversei com ele e ele disse que faria a carta para mim sem problemas (e eu não conseguirei com o RH). A empresa atual do marido tb seria difícil conseguir esse papel timbrado (mas ele conseguiria a carta com o chefe sem problemas).

    Obrigada pelo sacode, vou começar a escrever essas cartas o quanto antes (esperando o resultado da revisão do marido apenas).

    Beijos

    • Paula Mello disse:

      kkkkkkk que bom que gostou! 🙂

      Não sei bem cmo fica nesse caso… O papel timbrado é necessário para que a carta seja reconhecida pelo consulado como um documento oficial. Se não for possível obter em papel timbrado, junte contratos, contracheques, tudo que possa comprovar que a carta é verdadeira. Uma opção é, antes de submeter o processo, fazer uma consulta com um profissional da área pra revisar os documentos que vocês têm e tirar dúvidas importantes como essa.

      Beijos e voltem sempre! 🙂

  2. Revife disse:

    Bom dia ,voce sabe me dizer se tem quantidade minima de horas por semana no trabalho para eles aceitarem como trabalho? Por exemplo, eu que sou médica trabalho em 5 empresas diferentes . Algumas , 4 horas / semana. Outra 12h/ semanas. Outra 8h/ semana. E por fim uma 24h . Voce sabe me dizer isso?

    • Paula Mello disse:

      Ish, Revife!

      Complicou agora… Não sei como funciona, infelizmente… Acredito que conte a soma das horas, mas não sei dizer. Sugiro que você busque um consultor de imigração, pelo pra uma primeira consulta, pra te dar um Norte.
      O processo de imigração como médico creio que segue a mesma lógica do EE, mas chegando lá a revalidação do diploma é necessária (a não ser que sua formação seja nos EUA, se não me engano) e é um processo complicado e longo. Um consultor especializado é a melhor pessoa pra te orientar quanto a isso.
      Mas uma vez lá e podendo trabalhar como médica, o sucesso é garantido viu? O Canadá está sempre precisando de profissionais de saúde e os salários são muito bons! Vai valer a pena! =)
      E parabéns pela bela profissão.
      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser!

  3. Marcelle disse:

    Olá. Excelente post. Voce disse q usou a carta escrita pelo colega de trabalho, c/ firma reconhecida…essa carta tinha o logo da empresa ? E ele ainda trabalhava la quando escreveu a carta ? Se pudesse dizer o conteúdo da carta q usou, adoraria hehe! Obrigada ! Sharing is caring mesmoooo, thanks for sharing

    • Paula Mello disse:

      Oi Marcelle,

      A carta do meu colega de trabalho não tinha logo da empresa e ele não trabalha mais lá. Nesse caso, ela foi usada apenas como documento adicional, já que eu tinha uma carta da empresa, porém estava incompleta em relação às minhas atividades. Se fosse apenas a carta do colega de trabalho, não sei se o CIC teria aceito.
      Quanto ao modelo de carta, no geral, fizemos bem básico mesmo, cargo, período trabalhado, horas, salário anual e benefícios e descrição das atividades em bullets. A maioria das empresas aceitou colocar isso no papel timbrado delas e assinar, mas nem todas.
      Na internet é possível encontrar vários modelos também., inclusive o nosso foi uma adaptação baseada em vários outros hehehe
      Vamos continuar “shareando” tudo por aqui e devolvendo um pouco do que aprendemos na internet e nos ajudou muito no processo.
      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser!

  4. Jonathan disse:

    Olá, Paula. Tenho uma dúvida. Você saberia dizer se, na carta, ao descrever minhas atividades na empresa em que trabalhei, posso simplesmente copiar e colar exatamente como está no NOC, na página da cic, ou devo descrever com minhas palavras?

    • Paula Mello disse:

      Olá, Jonathan!

      Posso te contar o que fiz: descrevi com minhas palavras, pra não ficar parecendo que a carta foi “copiada”, mas procurei sempre incluir na descrição das atividades as palavras-chave da descrição do NOC, de forma a facilitar ao oficial entender o que eu fazia e correlacionar com meu NOC.

      É bem parecido com quando você está escrevendo um currículo pra uma vaga específica e, na descrição de seus empregos anteriores, coloca palavras-chave da descrição do cargo ao qual quer se candidatar, de modo a orientar o examinador.

      Espero que ajude!
      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser! 🙂

  5. MrsPEng disse:

    Olá Paula e Rafael!
    Devorei o site de vocês, muito obrigada pelo nível de detalhes e entrega! Torcendo para que vocês possam voar para terras canadenses logo logo!

    Vou começar a juntar estas cartas agora e gostaria, ao longo do processo, de fazer um post sobre, baseando no de vocês (com créditos e link direto hehe), pois ficou muito completo! O que acham?

    Um abraço!

  6. Ludimila disse:

    Olá, adorei o post, informações valiosas. Vocês sabem me dizer no caso de ser autônoma , ou prestar serviços, se teria algum problema ? Sou fisioterapeuta e tinha Consultorio, e também trabalhava no consultório de uma amiga. Tinha cadastro na prefeitura , pagava as taxas do Consultorio, será que poderia ser utilizado? Obrigada

    • Paula Mello disse:

      Olá Ludmila!

      No caso de profissionais autônomos, até onde sei, é necessária além de toda a documentação financeira, cartas de alguns clientes, com firma registrada em cartório, explicando que você prestou serviço realizando X atividades por X tempo. Clientes, no caso, empresas ou pessoas físicas. Quanto mais, melhor.

      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser! =)

      • Daniel disse:

        Ludmila,
        Minha esposa é psicóloga e também utilizava uma sala de uma amiga dela para atender, em uma clínica de psicólogos. Será que essa amiga, dona da clínica, poderia escrever a carta declarando que ela trabalhou lá?
        Obrigado.

        • Daniel disse:

          Confundi os nomes… É para a Paula e não para a Ludimila… =]

        • Paula Mello disse:

          Daniel,

          Acredito que poderia. No caso de profissionais autônomos, os clientes também podem escrever cartas de comprovação. Não tive a experiência, então o melhor é sempre consultar um especialista pra não cometer erros.

          Obrigada pela visita e volte sempre que quiser.

  7. Marlucia disse:

    Boa Tarde Paula, obrigada pela informações valiosas. Tenho uma dúvida, a carta pode ser feita em português pela empresa e aí vc manda fazer a tradução juramentada para utilizar no EE?
    Obrigada,
    Marlucia

    • Paula Mello disse:

      Olá Marlucia, tudo bem?

      Pode sim, inclusive foi o que fizemos na maioria dos casos. A carta só deve ser feita em inglês se a pessoa que for assinar falar inglês e for capaz de responder perguntas em inglês no telefone. Caso contrário, o melhor é escrever em português e traduzir, assim o CIC já sabe que a pessoa não fala a língua e vai se comunicar de outro modo (por email ou delegando ao Visa Office de São Paulo).

      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser! =)

  8. Gabriel Lima disse:

    Olá Paula, tudo bem? Muito bom essas informações. Estou indo no começo de 2017 para estudar juntamente com minha esposa. Acontece que vamos nos casar no final deste ano, por isso solicitaremos o visto individualmente de estudante (Study Permit).
    Após 6 meses, vou tentar começar um curso no college para que minha esposa possa trabalhar full-time. Essa é a questão, lá no Canada, nós dois com visto de estudante, quando eu renovar o meu, consigo colocar ela como minha conjugue?? Ou o fato de já sair daqui separado podemos ter complicações nessa renovação?
    Obrigado,
    Abraço.

    • Gabriel Lima disse:

      Eita. pelo que vi, parece que não foram ainda neh. Talvez não consiga me ajudar com essa duvida.. De qualquer forma, muito obrigado. heheheh…

  9. Leticia disse:

    Eu posso simplesmente pegar o logo da empresa e colocar no topo, fazer a carta e pedir apenas a assinatura do chefe/ex-chefe? Isso conta como papel timbrado? Obrigada.

    • Paula Mello disse:

      Oi Letícia!

      Pode sim, especialmente no caso da empresa não ter um papel timbrado próprio e você querer um modelo mais “bonitinho”. Ponha a logo e não esqueça do endereço, telefone, email e todos os contatos da empresa. Na verdade, o que torna a carta “oficial” aqui é o seguinte: a pessoa que assinou ainda trabalha na empresa? A empresa foi informada da existência dessa carta? Se o CIC ligar pro telefone de contato da empresa ou direto pro ramal da pessoa, a veracidade da carta será facilmente confirmada e ninguém será “pego de surpresa”? Se a resposta é sim, a carta é oficial. Pode por a logo da empresa, pedir assinatura e carimbo de um gerente e tudo bem. Até porque a própria empresa vai verificar sua carta e estará de acordo com o modelo que você desenhou, tornando-o “oficial”. Porém, se a carta está representando a empresa, a mesma tem sempre que estar ciente. Caso contrário você pode ser acusada de mentir no seu processo.

      Existe também a possibilidade de seu ex-chefe ou a pessoa que assinar não trabalhar mais na empresa. Ele ainda assim pode te recomendar, mas isso deixa de ser um documento “oficial”, torna-se um documento adicional no processo, não pode levar nome nem logo da empresa e você vai ter que acrescentar outros documentos, como contrato de trabalho, contracheques e IRPF para comprovar que realmente trabalhou lá e que a empresa existe de fato.

      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser! 🙂

  10. Juliano Blanco disse:

    Boa tarde,

    A carteira de trabalho, assinada direitinho, com cargo, salario, data de admissão, pode ajudar?

    • Paula Mello disse:

      Oi Juliano!

      Então, ajuda sim, mas infelizmente não é suficiente. Não existe carteira de trabalho no Canadá, então eles não consideram este um documento oficial, mesmo que para o Brasil ele seja. :-/
      Cada país tem suas leis e documentos trabalhistas, então a carta foi a forma que o CIC encontrou para criar um padrão. Você pode acrescentar às cópias da carteira de trabalho uma carta de um colega de trabalho reconhecida em cartório, holerites, contrato de trabalho e outros documentos que comprovem que você passou por lá e, mais importante, quais foram exatamente as suas atividades desempenhadas. Isso é o ponto chave pois só olhando pra elas o oficial consegue dizer se sua ocupação está nos NOCs 0, A ou B.

      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser! 🙂
      Boa sorte com o processo!

      • Leonardo Lovo disse:

        Olá, Paula, tudo bem? Estou sofrendo com essa burocracia toda da comprovação do trabalho, e estou com algumas dificuldades: tem dois lugares que trabalhei nos últimos 9 anos, relacionados com o NOC almejado, que não tenho como conseguir cartas de empregadores. Dessas empresas, uma foi fechada e a outra foi vendida e os donos atuais não têm mais nada a ver com quem era minha chefia na época, e outra. Nesse caso pensei em anexar os registros da CTPS (joguei fora os contratos de trabalho achando que não iria mais precisar) e os holerites, mas queria saber se teria que juntar tradução juramentada deles. Obrigado!

  11. Fernando Meira disse:

    Olá Paula!

    Puala, primeiro muito obrigado pelas informações! Tenho 2 dúvidas especificias sobre esse assunto:

    Um trabalho de 30 horas semanais ja conta como full time? ou precisar ser maior que 30?

    e outra coisa, se eu trabalhei por exemplo 1 ano e meio na empresa X, ai saí e voltei pra essa empresa X de novo e trabalhei lá mais 2 anos, eu devo fazer 2 cartas da mesma empresa ou uma só descrevendo os períodos trabalhados de forma separada na mesma carta?

    • Paula Mello disse:

      Olá Fernando!

      Desculpe a demora, a mudança esta sendo uma loucura. Até onde sei, a partir de 30 horas é full time. Quanto à experiência na mesma empresa, acho que tanto faz. Eu sei que na carta tem que constar todas as posições ocupadas e datas, então acho que se voc^juntar tudo não terá problemas. Mas é sempre bom consultar a fonte oficial, o site do CIC, para dúvidas.

      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser. 🙂

  12. Marcus disse:

    Muito bom, Paula! Este post foi bem util!

  13. Hanna disse:

    Adoro o blog de vocês! Quero começar essa jornada e foi muito esclarecedor..só uma dúvida, tendo as cartas, precisa de todos os contracheques?

    • Paula Mello disse:

      Oi Hanna. Desculpe a demora… a carta e o principal, tendo ela nos padores certinhos nao precisa necessariamente do resto.

      Obrigada pela visita! 🙂

  14. Roselaine Bittencourt disse:

    Como conseguir conprovacao de experiencia se eu sou a proprietaria da empresa?

    • Paula Mello disse:

      Oi Roselaine,

      Você pode pedir a seus clientes que escrevam cartas de comprovação de experiência e assinem pra você, comprovando o tipo de serviço que prestou pra eles e por quanto tempo.
      No site do CIC tem mais explicadinho como fazer nesse caso, mas é basicamente o mesmo tipo de carta, porém escrita e assinada por clientes seus.

      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser. 🙂

      • Fabiana Silva disse:

        Olá Paula…
        Curtindo todas as informações!
        Parabéns pela sua simpatia e detalhes… AMO!

        Minha dúvida baseada nesta resposta… Não achei no CIC o modelo de carta de comprovação de experiência… Pode me ajudar, por favor.

        Obrigada e sucesso

  15. Roselaine Bittencourt disse:

    Comprovação.

  16. Tata disse:

    Oi Paula, to nessa parte agora e seu post me ajudou bastante!
    Eu so tenho uma duvida, em algum momento no preenchimento dos dados pro Express Entry ele pedem o numero do NOC? Pois meu caso eh confuso pois tinha um cargo, mas a função era de outro NOC, então quero garantir que eles se baseiem no NOC certo…bjos!

    • Paula Mello disse:

      Oi Tata… Entao, no momento de botar o perfil você tem que por seu NOC sim. Mas o nome do cargo não importa em nada pro CIC, o que importa são as funções. Eu tive essa mesma situação e simplesmente coloquei o nome do cargo, mas dentro de outro noc, que era o que se encaixava nas funções desempenhadas.

  17. Karen Cabral disse:

    Oi Paula, muito bom o post! Graças à vocês, mudei meu plano Canadá e não estamos mais nos programando pra estudar em um college, e sim chegar com residência permanente. Minha dúvida é, caso uma das empresas que trabalhei tenha fechado, como posso fazer? Eles checam no site da Receita Federal ou algo do gênero pra ver se a empresa está ativa, ou desde que todas as exigências da carta sejam cumpridas, estará tudo bem?
    Obrigada por compartilhar a experiência de vocês! Bjs!

    • Paula Mello disse:

      Ou Karen! Que bom que estamos inspirando seu planejamento! Então, Receita Federal acho que não. Mas eles podem sim procurar pelo endereço da empresa, Google maps e tentar ver se ainda está ativa. Podem também ligar pro contato de quem assinou e mandar pra o consulado de SP investigar se eles acharem estranho…
      O que eu fiz e recomendaria você a fazer é: primeiro, avalia se essa experiência realmente vai ajudar a compor sua pontuação, já que no seu noc principal vc precisa de 1 ano pelo menos e, somando todos os seus trabalhos de NOC 0, A ou B, precisa dar 3 anos. Mais que 3, já não te dá ponto extra.
      Se contar muito, seja transparente. Peça a alguém que foi do RH da empresa ou seu superior (de preferencia mais de uma pessoa, pode incluir colega de trabalho como carta extra, mas RH ou superior é o mais indicado) assinar a carta pra você e se colocar a disposição pra possíveis esclarecimentos. No mias, manda contrato de trabalho, contracheque, aquele documento do IRPF que toda empresa tem que mandar todo no pro funcionário comprovando pagamento de salário… enfim, tudo que você tenha guardado que comprove que a empresa existiu mesmo. Coloca na sua carta de explicação exatamente o que aconteceu, que a empresa fechou, mas que vc trabalhou la e esta mandando X documentos pra comprovar. Os oficiais são bem espertos, então seja transparente sempre. Eles vão apreciar sua sinceridade e usar de mais boa vontade na análise do seu caso. Provavelmente, não terá problemas. Mas, se decidir mandar como se a empresa ainda existisse e, por acaso, não passar batido, aí sim seu processo todo estará em cheque.

      Obrigada pela visita!

  18. Jocilene Lima disse:

    Olá Paula, tudo bom? Meu marido trabalhou 6 anos na HP Brasil. Entrou como estagiário e foi promovido a Analista de Desenvolvimento I. Depois que ele saiu a RH Rio fechou e a parte da HP de desenvolvimento de sistemas foi comprada pela DXC, ou seja: a HP foi dividida em HP DXC (serviços e tasl) e HP HPE (print, e tals). Conseguimos o e-mail do RH de SP da HP DXC já que todos os gestores do Rio rodaram com o fechamento da unidade Rio. Mandamos em anexo a carta já em inglês com todos os dados dele, inclusive a descrição do JOBCODE dele e as informações necessárias do express entry, só que para nossa surpresa a HP DXC se recusou a fornecer a carta de acordo com aquele modelo. Disse que tinha um modelo próprio e que só poderia fornecer informações de atividades se algum gerente direto assinasse e autorizasse… porém, qual gerente? Todos saíram. Resumindo, ligamos, choramos, conversamos e nada ..eles mandaram a carta simples mesmos, como os dados da empresa, data de início, saída, cargo e claro tudo em português (mais uma tradução ae). Ae não nos desesperamos e fomos a luta. Achamos contra-cheques e contratos , inclusive os documentos de homologação e fizemos 5 modelos de carta com as atividades e pedidos para os amigos que trabalharam diretamente com meu marido para assinar e vamos reconhecer firma em cartório. Ahh também já redigimos uma carta explicando toda essa história e inclusive vamos mandar traduzir todo o histórico do e-mai dessa saga com a a HP DXC. A pergunta é: Será que temos chance? Espero que sim, pois temos 500 pontos pelo EE e a chance de entrarmos é grande.

    • Paula Mello disse:

      Ola Jocilene!

      Pelo que voce descreveu, estao muito bem documentados. Nao acho que vai ser problema, mas o processo nao costuma ser rejeitado logo de cara se esta bem documentadinho. Se os oficiais quiserem esclarecer algo, vao entrar em contato com voces. Mas a situacao dele esta muito parecida com a minha, inclusive os documentos enviados, e no meu caso foram todos aceitos.

      Torcendo por voces! Ja receberam a ITA? 🙂

      Obrigada pela visita!

  19. Moisés disse:

    Olá! Gostaria de deixar meu agradecimento pela postagem, muito bem escrita e detalhada. Me ajudou muito. Parabéns e muito obrigado!

  20. Eduardo disse:

    Olá, tive uma empresa por 6 anos e vendi ela mês passado porém continuei a trabalhar nela. Posso pedir ao meu chefe agora para fazer uma carta referente aos 6 anos que trabalhei nela ou eles conseguem saber que nesse período eu que era o dono?
    Obrigado e parabéns pelo trabalho

    • Paula Mello disse:

      Eduardo, o melhor é sempre a transparência, até porque você vai precisar justificar as suas finanças e vai ficar bem claro que você não tinha salário como funcionário, poi provavelmente não recebia com a mesma regularidade. Você pode pedir a essa pessoa que ateste suas funções, caso já tenha trabalhado com você e sua empresa antes da compra e pode também pedir a ex-clientes que escrevam cartas pra você.

      Obrigada pela visita e boa sorte 🙂

  21. Tatiana disse:

    Olá, Paula, seus posts são muito completos, parabéns pelo blog! Poderia ajudar com uma dúvida? Li em um dos comentários que é possível somar todos os trabalhos de NOC 0, A ou B, é isso mesmo? Pensei que a experiência só contava se fosse continua e no mesmo NOC. Sou formada em Comunicação e no prazo de 10 anos (já que pra trás não conta) tenho 3 anos na área e 5 anos em outra área (professora de línguas). Tenho NOCs 0, A e B. Posso somar tudo? O NOC principal a ser selecionado é o que conseguir experiência quando estiver no Canadá? Vale a pena esperar ir pra aplicar? Queremos fazer college (eu ou meu marido) mas não temos todo o dinheiro ainda. Desculpe tantas perguntas, agradeço no que puder comentar.

    • Paula Mello disse:

      Obrigada Tatiana,

      Sim, pode somar todos os NOCs 0, A e B que tiver nos ultimos 10 anos. O seu NOC principal vai ter que ser aquele em que você tem pelo menos um ano de experiência contínua nos últimos 5 anos. Não precisa ser experiência no Canadá, pode ser fora.

      Ve quantos pontos vocês fariam (faz uma análise realista do seu nível de inglês – um simulado no IELTS pode ajudar, quantos diplomas tem e tal) antes de vir por College. As vezes vocês tem chance de vir direto como residentes permanentes e não sabem (foi nosso caso).

      Boa sorte 🙂

  22. Olá Paula. Fantástico o post. É muito bom ouvir de pessoas que chegaram do outro lado. O document checklist é assustador no processo de Permenant Residency. Mas o fato de já ter chegado nesta etapa é um vitória. Tenho algumas perguntas e ficaria muito grato se pudesse dar uma luz. As primeiras pertinentes ao post. Algumas não.

    1. Eu e minha esposa somos autônomos. Eu psicólogo, ela personal trainer. Entendo que temos que ter cartas dos nossos pacientes/alunos. Eu mesmo poderia redigir essas cartas em inglês e os pacientes/alunos assinarem e registrarem firma?

    2. Pedem também para anexar os “pay stubs”, olerites não é isso? Eles devem ser traduzidos juramentados também?

    3. Pedem também para comprovar renda que seja concedido pela instituição financeira sobre nosso perfil financeiro. Mostrando extratos e tal. Já estou sofrendo em pensar no trabalho que vai dar pra explicar isso pra minha gerente da Caixa. kkkkkkk. Vai ser um custo. Mas tudo bem. Minha pergunta é: isso tem que ser traduzido juramentado também?

    4. Minha esposa mudou o nome ao casar. Pedem pra comprovar isso. A certidão de casamento basta?

    5. Contatei o médico para fazer exames e ele perguntou se vou fazer o exames para Student, Work, Visitor, Family visa. Não soube responder. Disse que o Family não pode ser feito upfront, embora o painel pede que seja Upfront. Seria o Work?

    6. Ao lado de Police Certificate está escrito (multiple). Não entendi isso. Temos morado só no Brasil nos últimos 10 anos.

    Muito obrigado pela atenção.

  23. Igor disse:

    Olá. Paula. Parabéns pelo precioso trabalho. Esse post foi sem dúvidas o mais completo que encontrei sobre o assunto. Fiquei com dúvida de uma coisa: 13º salário entra na lista como benefício?

  24. Ana Ribeiro Bez Batti disse:

    Oi Paula! Ótimo post! Muito obrigada! Bem explicadinho e os modelos são uma mão na roda. Minha dúvida é, a carta dever ser em português ou em inglês, ou ambos? Coordenei um centro de línguas durante muitos anos e eles me fornecerão essa carta, podem fazer tanto em inglês quanto em português ‘uma vez que os donos falam inglês. O que vc me diz? Obrigada!

  25. Renan disse:

    Olá Paula, ótimo site. Tenho 1 dúvida. Mencionam cartas dos empregadores nos últimos 10 anos. Mas a 7 anos atrás eu trabalhava com outra coisa nada a ver como o que trabalho agora, será que tenho de mandar carta dessas empresas também, ou somente das últimas experiências com qual quero comprovar o NOC? Obrigadooo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *