IELTS: afinal, como é a prova? – Writing, Listening e Reading

O segundo dia foi menos nervoso que o primeiro (pelo menos pra mim), mas por conta do horário de início da prova (13:00, tendo que chegar impreterivelmente às 12:30) da longa duração (3 horas) e da distância da minha casa para o local do exame ser de mais ou menos uma hora, exigiu uma logística um pouco mais avançada. Pra começar, um conselho importante: pro dia do writing, leve um sanduíche reforçado pra te servir de almoço antes de começar a prova, a não ser que você more bem perto e consiga almoçar a tempo de chegar 12:30 no local.

No meu caso, levei sanduíche, cheguei 12:00 e comi calmamente observando o pessoal do Ciência Sem Fronteiras conversar e ler as anotações de último minuto. Foi a melhor coisa que eu fiz, porque esse tipo de prova te exige muito e acaba esgotando as suas energias. Mesmo comendo antes, saí esfomeada. Mas vamos aos fatos…

Dia 2 – Listening, Reading e Writing

Este dia foi muito mais pontual e começaram a chamar o pessoal pra se identificar, deixar as coisas e se formar fila pra colocar o dedo no ponto eletrônico precisamente às 12:30, portanto não se atrase. Hoje ninguém espera pelos atrasados, pois a prova, uma vez iniciada, não para. Na minha sala, inclusive, optamos por começar a prova um pouco antes das 13:00 pois todos os que não foram considerados faltantes já estavam lá dentro. Moral da história: mesmo sendo carioca, 12:30 é 12:30, ok? Rsrsrsrsrs.

Deixamos nossas coisas em uma sala trancada (vale a pena levar uma bolsa pra deixar suas coisas organizadas, teve gente tirando até dinheiro e Riocard do bolso e largando em cima da mesa), saímos apenas com água transparente sem rótulo (são exigentes quanto a isso), lápis, borracha, apontador e identificação. Não; não pode caneta nem liquid paper. Uma moça precisava tomar remédio pra pressão no meio da prova e perguntou à organizadora se podia levar a cartela. A organizadora pediu que ela destacasse apenas o comprimido necessário e avisasse no inicio da prova que precisaria tomá-lo. Sim, é nesse nível. Ah, antes de entrar na sala pra deixar suas coisas vá ao banheiro, não deixam você ir depois.

Ao chegar à sala seu nome estará na mesa e você deve procurá-lo e sentar-se em seu lugar marcado. Não pode trocar. Uma moça estava com a mesa bem bamba, trocaram a mesa por outra, mas não trocaram a moça de lugar. Deve haver uma boa razão para os lugares serem escolhidos previamente… ou não, vai saber, rs. Outra coisa: relógio nem pensar, nem digital, nem analógico, muito menos de bolso. Mas não se preocupe com o tempo, o fiscal da prova lê todas as instruções em inglês (mas perguntaram algo em português e ele respondeu numa boa), te mostra onde marcar e como assinar e, durante todo o decorrer da prova, avisa quanto tempo falta. Além disso, um relógio imenso foi projetado no quadro da nossa sala, visível a todos.

Quanto ao áudio, na minha sala foi muito bom. Havia alto-falantes no teto da sala inteira, de modo que todos podiam ouvir bem, independente da posição na sala. Estava bem claro e foi tranquilo de ouvir. A dica aqui é não deixar a mente vagar pra não se perder nas questões. Ah, e pra ir ao banheiro? Essa é uma questão… Ninguém vai parar o tempo, ou sequer o áudio da prova pra você sair, então nem pense nisso no Listening. O pulo do gato aqui é: meça mais ou menos quanto tempo você leva para fazer as questões do Reading, que vem logo depois. Eu levei pouco menos de cinquenta minutos, dessa forma me sobraram 10 pra ir ao banheiro rapidinho antes do Writing. Importante: depois de 50 minutos de prova do Reading ninguém pode sair da sala, pra garantir que todos estejam lá na hora do Writing. Sendo assim, voe como o vento para garantir sua ida ao banheiro ou se segure até o fim da prova.

Estamos chegando ao fim, prometo! Uma dica para o Writing é começar pela segunda redação (dissertação) mesmo, que vale mais e toma mais tempo. Comecei pela primeira (carta) e quase não consegui terminar a segunda, corrigir os últimos parágrafos então, nem pensar. Acho que teria me poupado uma dor de cabeça mais na frente se tivesse revisado direitinho, mas isso é assunto pra outro post…

Ao fim do Writing, eu estava morta, com dor de cabeça, fome, mas feliz por ter acabado e torcendo pra ter tirado o suficiente e não precisar fazer de novo. Quando acaba, você pode sair a vontade, pode ir ao banheiro, pode pegar suas coisas sem ninguém atrás, tranquilo. Rafa teve aula no Centro nesse dia e estava me esperando dentro do prédio do exame, mas do lado de fora da catraca (não pode entrar acompanhante). No caso do Rio, nem cadeira lá tem, então quem for acompanhar já sabe que vai ter que procurar alguma cafeteria lá perto ou ficar em pé, ou sentar no degrauzinho mesmo… Pelo menos tem ar condicionado, rs.

Até a próxima, galera! =)

Paula Mello

Analista de Projetos de TI, formada em Analise de Sistemas e Publicidade, técnica em Meio Ambiente, estudante por curiosidade eterna, cervejeira por amor ao hobby, louca por fotografia, dança, livros, chocolate, viagens, virar a mesa, se perder pra depois se reencontrar, diferente, de novo.

Você pode gostar...

4 Resultados

  1. Andrei Rosental disse:

    Obrigado pelo post. Fiquei feliz em saber que eles projetam um relógio imenso…já tava aflito imaginando só um fiscal avisando sobre o tempo quando bem entendesse.

  2. Luiz disse:

    Oi Paula, parabéns. Qual foi o tema do writing?

  3. Aline disse:

    Oi Paula! Estou iniciando meus estudos para o IELTS e encontrei seu blog por aí. Muito obrigada por compartilhar as informações, vc respondeu várias dúvidas que eu tinha!
    Uma pergunta um pouco indiscreta, como foram suas notas?

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *