Sobre estar indo embora…

downtheroadpartiucanada

Paula Mello

Analista de Projetos de TI, formada em Analise de Sistemas e Publicidade, técnica em Meio Ambiente, estudante por curiosidade eterna, cervejeira por amor ao hobby, louca por fotografia, dança, livros, chocolate, viagens, virar a mesa, se perder pra depois se reencontrar, diferente, de novo.

Você pode gostar de...

12 Respostas

  1. Les Saints disse:

    Nossa, a Guerra Civil que vivemos constantemente é uma coisa totalmente angustiante. Eu e meu marido falamos isso o tempo inteiro, o que nos faz querer ir embora é o “viver com medo”. Medo de ser assaltada, medo de sofrer um sequestro.

    É preciso que algo muito forte aconteça para a gente resolver mudar de vida. E infelizmente a insegurança é o que mais nos assola.

    • Paula Mello disse:

      Les Saints,

      Infelizmente, é verdade. Quando passamos um tempo fora, percebemos o peso que carregamos todos os dias. E não é só o estresse do medo da violência, mas o estresse no trânsito, com os serviços públicos que não funcionam, com os altos preços de tudo… O Rio é lindo, mas as qualidades não são suficientes para superar os problemas. Simplesmente não se consegue viver em paz. Eu já tenho algumas doenças causadas pelo estresse que são características de pessoas bem mais velhas e que regrediram muito no tempo que passei fora. Espero que tudo se reverta quando essa tonelada de preocupações sair dos ombros… hehehe

      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser. 🙂

  2. Fabiana disse:

    Prezados, boa tarde. Eu tenho lido todos os posts de vocês e adoro tudo. Obrigada 🙂
    Meu esposo e eu estamos ainda na fase do IELTS (só eu vou fazer a prova) e já fiz o ECA dos meus cursos.
    Já que vocês estão com viagem marcada (que Deus os acompanhe!!), tenho uma dúvida e gostaria que escrevessem um pouquinho sobre isso, podendo ser aqui mesmo como resposta à minha mensagem ou um texto maior, quem sabe! rs
    Seguinte, queria saber a questão das malas de viagem. A companhia aérea permitiu que vocês levassem 3 malas cada um, por se tratar de imigração?
    E depois que chegarem lá também quero saber como foi colocar a vida dentro de 4 (ou 6 malas) e como foi andar com tudo isso e mais as mochilas, bolsas de mão etc. pelos dois aeroportos.
    Puxa, menti lá em cima, dizendo que era só uma pergunta…rs
    Então, só mais uma: vocês alugaram casa/apartamento no Airbnb para os primeiros dias? Por quantos dias? Depois contem pra gente como foi tuuudo!
    Um grande abraço aos dois, viu. A gente não se conhece mas eu torço muitíssimo pelo sucesso de vocês.

    • Paula Mello disse:

      Oi Fabiana! Desculpe a demora, os comentarios do blog nao estavam sendo mostrados em ordem…
      Foram tres caixas e uma mala, entao foram duas malas cada um.
      Foi so um aeroporto… hehehe contratamos uma SUV pra levar a gente ate a casa onde ficamos. Colocar as caixas no carrinho do aeroporto ate que nao foi tao ruim.
      Alugamos um quarto, na mesma casa que ficamos em 2014. No comecinho do blog tem posts sobre nosso intercambio.

      Obrigada pela visita e pela torcida! 🙂

      E seu processo, como esta?

  3. Vanessa Santos disse:

    Lindo seu texto! Acompanhei o processo de vocês e sempre torci muito. Nesse dia na linha amarela, eu estava ali deitada no chão junto com o meu marido e o meu filho de apenas 2 anos, eu tive uma crise de choro e até hoje estou tentando me recuperar… também fizemos o nosso processo para Edmonton no Canadá e estamos apenas esperando o PPR, faltam apenas 3 meses para completarmos 6 meses de espera. No exato momento em que eu me vi ali naquele tiroteio eu só pensava na minha imigração que poderia sair a qualquer momento, viver aqui está sendo muito difícil. Parabéns pela conquista, apesar da saudade que sentiremos de quem amamos estamos fazendo a coisa certa. Eu passei as minhas férias no Canadá e assim como você, tudo mudou dentro de mim. Beijo grande!

    • Paula Mello disse:

      Olá Vanessa,

      Seu comentário me emocionou. A gente escreve de coração aberto, nem imaginamos que, as vezes, ali pertinho de nós, estão pessoas compartilhando as mesmas dores e alegrias. Rezei muito pelas pessoas presas no asfalto aquele dia e certamente rezei pela sua família, então. Nessas horas a gente tem certeza que está seguindo o caminho certo. Desejo a vocês muita PAZ, saúde pra todas as mudanças que estão por vir, um PPR em tempo recorde (a gente que sabe o sofrimento que é essa espera) e uma adaptação rápida e sem dor. Ainda não sou mãe, mas acredito que depois que temos filhos o centro do nosso mundo muda de lugar e todo sacrifício vale a pena. Vocês estarão dando a ele uma oportunidade incrível, de crescer com uma liberdade de vida e de escolhas que infelizmente não conhecemos em nossa infância.

      Que Deus os abençoe sempre. E nos vemos no Canadá! =)

      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser. 🙂

  4. Rey disse:

    Paula, adorei o texto! Lindo e muito sincero. Eu e o marido estamos no início da espera do PPR. Tem menos de 1 mês do nosso AOR. Quero aproveitar para agradecer a você e o Rafael pelo blog! Me baseei muito no que vocês escreveram para dar andamento no meu processo por conta própria e realmente ajudou muito! As informações que vocês colocaram aqui são muito valiosas! Estão de parabéns.

    Acabei fazendo um blog para nós, para também retribuir aos próximos aplicantes de EE o favor que vocês nos fizeram. E para conhecer mais pessoas na nossa situação tão singular. Só quem passa por ela entende as emoções que permeiam o caminho. Desejo para vocês o maior sucesso no canadá e muita mas muita paz e tranquilidade.

    • Paula Mello disse:

      Olá Rey!

      Obrigada pelo carinho, é sempre bom saber que estamos realmente contribuindo. A ideia do blog era justamente compartilhar, pois tanto foi compartilhado conosco, as informações da internet foram primordiais pro nosso processo.

      Muito legal saber do blog de vcs, vou visitar. =)

      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser! 🙂

  5. Pathy disse:

    Estou na mesma situação que você. Aprovaram nosso visto esse mês e estamos indo para Vancouver em março. Queremos muito ir..nosso sonho. Mas estamos vendendo nossas coisas, nos despedindo de amigos e principalmente da família ta difícil. Mas como nosso objetivo é fugir da violência do Brasil e criar nossa filha num lugar mais tranquilo, acho que tudo isso vai valer a pena.

    • Paula Mello disse:

      Oi Pathy!

      De todas as fases, essa é a que mais mexe com a gente. A angústia da espera nos deixa malucos, mas a despedida da família e dos amigos amados é sem dúvida a parte mais difícil. A distância em si não é o problema, a incerteza de quando poderemos nos ver novamente é que nos mata por dentro. Mas tudo vale a pena, permaneçam firmes e pensem que, quem sabe, alguém mais se anima a seguir os passos de vcs? Sou “coach” de vários queridos agora… rsrsrsrs
      Alguém te que abrir as portas, vai que a vida ainda te surpreende? Costumo focar nesses pensamentos positivos quando o medo da saudade, que certamente será enorme, aperta.

      Obrigada pela visita e volte sempre que quiser! 🙂

  6. Kauana disse:

    Simplesmente quero dizer: parabéns!! Um site maravilhoso e super bem explicado. Eu e meu marido vamos dar entrada e estamos super animados para morarmos no Canadá.
    Tenho uma dúvida, vc poderia me ajudar?
    Eu e meu marido temos um apartamento que financiamos pela caixa, não queríamos vender, queríamos ir para o Canada e continuar pagando o financiamento. Vc sabe me dizer se é possível? Ou não pode ter financiamentos quando for comprovar a documentação para ganhar o visto de residente permanente?
    Obrigada e parabéns pelo site, tirou mtassss dúvidas q eu tinha.
    Bjs

    • Paula Mello disse:

      Ola Kauana… desculpe a demora… o blog baguncou a data dos comentarios…
      E possivel, mas a imigracai vai levar em consideracao que voce tem uma divida na hora de analisar suas financas… Tem que pesar tambem se vai ser possivel continuar com esta despesa.

      Obrigada pela visita! 🙂

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *